A Psicoterapia oferece um espaço “neutro, com uma escuta específica e atenta de um profissional que é o Psicólogo para que a pessoa se possa sentir à vontade para falar das angústias, desejos, anseios, medos, ideias e dúvidas, procurando compreender questões que normalmente surgem ao longo da vida.

A psicoterapia tem como principais objetivos: restabelecer o bom funcionamento psíquico; dotar o paciente de maior autoconhecimento, mas também das origens das suas dificuldades atuais de forma a encontrar estratégias para lidar com as mesmas; desenvolver novas formas de interagir e se relacionar consigo e com o mundo; quando necessário, repensar o seu sentido de vida.

São objectivos da psicoterapia:

Resolução das problemáticas que estão na origem dos sintomas (para os quais a pessoa solicita tratamento).
Insight 
- Conhecer-se e compreender-se a si mesmo, condição primeira para a mudança.

Livre arbítrio 
- Por vezes as pessoas sentem-se controladas pelos seus sintomas (depressão, ansiedade, medos, dúvidas, etc) ou então nunca se sentiram ao comando da sua vida e até duvidam que isso seja possível, pelo menos sem ajuda. Através da psicoterapia pretende-se conseguir um sentimento interno de liberdade e poder de decisão.

Identidade
 – Sentido forte e coeso do eu. Perante as condicionantes que recaem sobre cada um de nós, e dado que a nossa sociedade não nos atribui papéis seguros, predefinidos e vitalícios, temos de procurar o sentido do que somos na integridade e autenticidade internas, na capacidade de vivermos segundo os próprios valores e de sermos honestos com os próprios sentimentos, atitudes e motivações.

Auto-estima
 – Aumentar a auto-estima, que pode ser frágil mesmo nas pessoas mais confiantes, por exemplo, ao receber uma crítica inesperada.

Reconhecer e lidar com os sentimentos
 – Que a pessoa saiba o que sente, compreenda a razão de sentir dessa forma e tenha a liberdade interna de lidar com as suas emoções em benefício próprio e dos outros.

Força do Ego ou coesão interna – 
Capacidade da pessoa lidar de forma realista e adaptativa com as dificuldades da vida

Capacidade de amar e trabalhar
 – Com um trabalho psicoterapêutico bem sucedido a pessoa desenvolve uma maior aceitação não só da sua complexa vida interna mas também das complexidades e limitações dos outros.

Lida melhor com os desapontamentos pois, ao conseguir perdoar a si próprio factos que agora compreende e controla, perdoa aos outros aquilo que eles não compreendem nem controlam.

Prazer e serenidade
 – Sentimento geral de bem-estar.